27 outubro 2010

In Due Form / Em Devida Forma

In Due Form

I do not doubt you.
I know you love me.
It is a fact of your indoor face,
A true fancy of your muscularity.
Your step is confident.
Your look is thorough.
Your stay-beside-me is a pillow
To roll over on
And sleep as on my own upon.
But make me a statement
In due form on endless foolscap
Witnessed before a notary
And sent by post, registered,
To be signed for on receipt
And opened under oath to believe;
An antique paper missing from my strong-box,
A bond to clutch when hail tortures the chimney
And lightning circles redder round the city,
And your brisk step and thorough look
Are gallant but uncircunstantial,
And not mentionable in a doom-book

laura riding.


Em Devida Forma
Tradução: Alexandra Bernardo

Não duvido de ti.
Sei que me amas.
É um facto da tua face interior,
Um verdadeiro capricho da tua musculosidade.
O teu passo é confiante.
Teu olhar, profundo
A tua permanência é uma almofada
Onde rolar
E dormir como no meu próprio ser
Mas faz-me uma declaração
Em devida forma, sobre papel infinito
Testemunhada perante um tabelião
E enviada por correio, registada,
Com direito a assinatura em recibo
E aberta sobre fiel juramento;
Um papel antigo desaparecido da minha caixa-forte,
Um laço a agarrar quando o granizo tortura a chaminé
E círculos de relâmpagos atormentam a cidade,
E o teu vigoroso passo e olhar profundo
São charmosos, mas sem minúcia,
E não mencionáveis num livro de destinos.