21 maio 2011

Filo-Café: Arte, Cultura e Agricultura

 21 de maio de 2011, 17h
Filo-Café: Arte, Cultura e Agricultura
Britiande

Pretendemos sensibilizar os artistas para a sua ascendência agricultora, os lavradores para a arte como estímulo do desenvolvimento do cérebro, e chamar a atenção para a (agri)cultura, enquanto motivo da nossa sobrevivência em Gaia.
Inscrições abertas nas áreas da botânica, pensamento, performance, música, artes visuais, letras, multimedia.
Tempo de atuação: 10 minutos.
Os trabalhos apresentados serão publicados no TriploV (www.triplov.com), estando conformes com as normas.

PROGRAMA PROVISÓRIO

17h - Inauguração do «Arboreto Francisco Newton». Pequeno discurso a explicar quem foi Francisco Newton e o que é um arboreto. Piquenique.
Plantar-se-á uma árvore simbólica e os participantes são convidados a trazer sementes, estacas ou árvores de espécies que não precisem de rega (apenas espécies da nossa flora, de preferência silvestres, com exclusão de espécies exóticas). A planta deve vir acompanhada por ficha de identificação em que figurem estas  informações (quando forem conhecidas):

Nome científico
Nomes vulgares
Distribuição geográfica
Nome do ofertante
Data

As plantas serão depositadas na terra, e os participantes convidados a acompanhar a sementeira com música e  declamação de poesia bucólica de sua autoria, ou qualquer outro tributo artístico à Terra-Mãe.

       21h - Filo-café -Restaurante Castiço

ABERTAS AS INSCRIÇÔES
Para as inscrições, gratuitas, enviar nome, área de intervenção e lugar de proveniência:
 Maria Estela Guedes estela@triplov.com
 incomunidade  incomunidade@gmail.com

Inscritos (em permanente actualização):

Maria Estela Guedes (org, Britiande); Tuna de Britiande (música, Britiande); João Rebelo (diseur, Lamego), Fernanda Frazão (prosa, Lisboa), Leontina Santos Ribeiro (árvores, Viseu), Alexandre Teixeira Mendes (verbo, Porto), Albino Matos (Coimbra, poesia), Alberto Augusto Miranda (verbo, Canidelo); Spabilados Teatro Hedonista (teatro, vila real); Marília Miranda Lopes (verbo, Vila Real), Carlos Silva (fotografia, Porto), Maria Carvalho (texto, Porto), Sara Miranda (texto, Porto), Virgílio Liquito (texto, Gaia), Carlos Vinagre (texto, Espinho), Manuel Lopes Azevedo (plantações, Vancouver), Manuel Rodrigues Alves (pintura, Lisboa), Pedro Monteiro (verbo, Espinho), Vitor Filipe (teatro, Figueira da Foz)