11 maio 2011

Animal Extraño - Catálogo



A minha casa já não é a minha casa
nem minhas mãos minhas mãos

Abre-se a porta e escuto
o rumor de um osso branco

A tarde debuxa-me uma pálpebra
um bosque de manchas a dormir

A minha casa já não é a minha casa
é puro ventre

Aroma dos dias grandes
o enigma do coração
de um animal
um animal raro

Anxo Pastor