18 novembro 2011

a planície dos biarcas


mel sem lua, que fizeste do meu pé e das ossadas que se torciam convulsas sob o ímpeto das paixões?
d'a ovelha galante de benjamin péret


um mosquito fazia a sua órbita em torno do sol
zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

hidrângeas de saltos altos
de cores alternadas
por amarelo
vermelho
verde e lilás
desciam uma estrebaria que ia dar ao mar

eram vários pés delas
poderosamente soltas
pook pook pook pook pook pook

o dia estava magnífico
pook pook pook pook pook pook

quatro lavagantes
jogavam pocker
sobre a caveira de uma baleia encalhada
do fraque mais janota só usavam o laço
eram chiques

jogavam das nove às cinco ininterruptamente
ooonheteieie eee oi ooonheteieie eee io ioi

as manhãs começavam com a leitura do jornal de massa folhada
com notícias da melhor casta
seleccionadas propositadamente para fortalecer lavagantes

comiam algas torradas com compota de nabiça
e dirigiam-se orgulhosamente
para a praia da saca plástica
aaaaaaiiioooooaaaaaa

as hidrângeas sofisticadíssimas
tomavam banho na sua esplendorosa nudez
deitaram-se dentro d'água para a passagem do funeral
todos os dias havia um

iam de branco e de pescoços erguidos

sobre um corpete voador
o chefe grasnava altíssimo
para que todos repetissem aleatoriamente

milhares de cisnes e gansos que marchavam para atingir a planície dos biarcas

(no coreto azul de vapor
inicia-se o espectáculo
de angelite & moscow art trio com vozes búlgaras
com grand finale)

fátima vale