12 dezembro 2011

pareidolia gigantea



setecentas cabras pulam com meias de lã sobre um estrado coberto de rama de algodão
os chocalhos fervilham o ritmo da orquestra

velha vestida de negro com uma urze na cabeça

- aqueilha fuonte de leite jorraba hai milénios cula mesma ufania
papoilas cun trajes aparentes de barinas nun l éran

subiam o carreiro de madrepérola
cada uma com sua cantarinha preta à cinta
ás bezes parában debido al cansaço

dos ramos dos carvalhos pendiam pastores lagarta
estes faziam o acompanhamento de orquestra com suas vozes guturais
marabilhaba-se de tal forma l sol neste éxtase
que cobria de sémen dourado todo l plaino

un nino cun cabeça de falcão
passou em delirante corrida
com um arco de ferro rolante
iba largando paxaricos de papel pul rabo
que ao entrarem em contacto cula atmosfera
ganhavam vida própria i tornában-se quelor d'açafron
mal l nino se tornava holograma no horizonte
escreveram en l'aire
este ano os melões estão docinhos

nisto fui de repente que se iniciou o êxodo dos coelhos
famílias anteiras
çtinguian-se os machos pela cartola que invergavam
as fêmeas
essas arrastavam véus de pipoca rosa
de traje popular iam as crias
ostensiva nudez dos pêlos branquinhos
olhos postos no coelho da lua que toca no tambor
a marcha libertária de todas las speces cun uolhos

amporta dezir que na frente
a cinco metros de distância
segundo as leis místicas
ia o coelho druída cuja crâneo
meio aberto largava um fumo azul e branco
na mão esquerda suportava o grande varapau de sabugueiro
que l suportaba a el
nua pequeinha haste
levava a cabaça pendurada
que debido a l'agitaçon de la marcha
ia pingando borboletas euplágias

este ano os melões estão docinhos
diziam já a plenos pulmões todas as aves
e isso movia as turbinas
al pobo branquinho

a emoção orvalhava o deserto das mãos da velha criatura
o esporão do seu polegar era o velho corno
que na realidade
se desprendeu da fronte

- estavam já perante as montanhas de verno
imponente cordilheira grega

o druída levitou sobre um pilriteiro
ladeado por dois pinheiros pigmeus
semelhantes a dues lanças begetarianas
i cul crisol que por magie le surgiu na pata squierda de la frente
polbilhou l'atmosfera de pepitas douradas
para anton dezir
cui cui cui
cui

os lagomorfos alvinhos
suspiraram de alívio
delantre la perpétua libardade
an que se percebian Star

pousaram as suas quatrocentas trouxinhas
livraram-se dos adereços
e em ritual dionísiaco comeram deliciosas ervas
seguidas dua beilça ourgiástica
que se grababa assi na parede de l'anfenito rupestre

em todo este momento
esteve o druída suspenso sobre o pilriteiro
horizontalizado e envolvido com milhares de euplágias
que lhe extasiavam as meninges do Ser


eis que ne ls cielos surgiu un raposo abermelhado
pela condição do ocaso

era tão tremendo o seu tamanho
que o povo branquinho se estatificou
de boca aberta
scorrendo babinhas fumegantes

um gigantesco raposo
que parecia poder cair sobre as cabeças da terra

o druída ergueu-se num pulo
que o trouxe ao chão
liebantou l barapau de sabugueiro i gritou
num tom de profecia
cuuuuui

todo o povo elevou as nalguinhas
roçando os bigodes na terra

o druída manteve-se incomparavelmente firme
e pelos ares epifânicos de la cordilheira
entoava Habib Koite & Bamada em cântico de mali ba


na pareidolia do milagre celeste
o titânico raposo em mímica alquímica
coçou apoteoticamente la nalga squierda

o sábio povo ascendeu ao cume de Si mesmo

cumpria-se assim a mais divina de las profecias
o nascimento do inverno
pela brancura animal
dos montes de verno


a doçura dos melões perpetuou-se nas lendas alvânicas
berço de uma espécie ex_tinta

ainda hoje
um bielho nino com cabeça de falcão
diz em muas

melones doceilhos
ambierno sin coneilhos

fátima vale